terça-feira, 31 de maio de 2011

CONCURSO DEPEN


Alguns concurseiros vêm estudando há tempo para esse concurso. O último foi realizado em 2009 pela banca FUNRIO. Na ocasião foram ofertadas 600 vagas para o cargo de Agente Penitenciário Federal, sendo distribuídas entre as cidades de Mossoró-RN, Porto Velho-RO, Catanduras-PR e Campo Grande-MS. A remuneração, à época, era de R$ 3.254,04 (hoje está em 5 mil líquido!!!). O concurso se dá em 3 etapas: prova objetiva, teste de aptidão física (TAF) e avaliação psicológica (TAP).

O conteúdo da prova é aquele comumente posto em provas, a saber:
- Português;
- Informática;
- Direito Constitucional;
- Direito Administrativo;
- Direito Penal;
- Direito Processo Penal;
- Lei de Execuções Penais;
- Lei do Servidor Público Federal;
- Matemática e Rac. Lógico. 

Já o TAF foi cobrado:

- Exercício em barra fixa;
- Salto horizontal e,
- Corrida de 12min.

Detalhes do TAF, clique AQUI

Por fim, a derradeira etapa é a avaliação psicológica do candidato.

Outras informações relevantes:

No último concurso, a nota de corte para os classificados dentro das vagas foi de 91. A prova valia 120 pontos;

1800 candidatos convocados para o fisico - nota de corte 89 pontos
1200 candidatos convocados para o psico- nota de corte 90 pontos

Convocados para a terceira Turma do Curso de Formação: 90 e 91 pontos



Por que disso tudo? Bom, resolvi falar sobre isso porque há rumores de um novo concurso para o 2 semestre deste ano. E aí, se animou?! 

segunda-feira, 30 de maio de 2011

PROCESSO PENAL EM EXERCÍCIOS


Mais um excelente material do Ponto no formato de exercícios. Em 3 encontros, prof Pedro Ivo, do Ponto, abordou os seguintes temas:


AULA 01 - Ação Penal

AULA 02 - Ação Penal/Prisão

AULA 03 - Prisão






Para baixar clique AQUI

Aproveitem!!!

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Contratação no “Sistema S” dispensa concurso público


As entidades do chamado “Sistema S” — no caso o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e o Serviço Social do Comércio (Sesc) — não precisam fazer concurso público para contratação de pessoal para seus quadros. Foi o que entendeu a 3ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho em dois processos com matéria semelhante.
No caso analisado do Senar, o recurso ao TST foi do Ministério Público do Trabalho contra decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região (SC) que manteve sentença de primeiro grau que julgara improcedente Ação Civil Pública ajuizada com o objetivo de determinar o concurso público para contratação de pessoal para os quadros da entidade. Para o Regional, o recrutamento de empregados por concurso público não pode ser exigido dos serviços sociais autônomos, por não pertencerem à administração pública. Deve-se, no entanto, exigir das entidades a observância dos princípios gerais da administração pública no uso dos recursos públicos.
No caso do Sesc, o Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (BA) acatou recurso do Ministério Publico do Trabalho. O TRT entendeu que o Sesc é entidade de direito privado atípica ou especial, regido pelas leis civis, mas, devido à forte incidência das normas do direito público, deve ser organizado e dirigido de acordo com os mandamentos estabelecidos para o Poder Público.
O TRT assinalou, entre outros aspectos, que ao Sesc se aplicam as regras que buscam punir a improbidade administrativa. Dessa forma, a entidade estaria sujeita aos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade e publicidade, que devem ser utilizados na contratação de empregados sob a forma de realização de concurso público.
OS processos tiveram a relatoria dos ministros Horácio de Senna Pires, no caso do Senar, e Alberto Luiz Bresciani de Fontan Pereira, no do Sesc. O entendimento da Turma, em ambos os casos, teve o mesmo fundamento: o de que as entidades do “Sistema S” não fazem parte da Administração Pública direta ou indireta. Dessa forma, os relatores chamaram atenção para o fato de que o Tribunal de Contas da União (TCU) já se manifestou sobre a inaplicabilidade do artigo 37, inciso II, da Constituição Federal, que exige concurso para a investidura em cargo ou emprego público. Neste ponto, o ministro Bresciani observou que a decisão do TCU reforça a tese de que, apesar de administrarem receitas decorrentes de contribuições parafiscais e estarem sujeitos a normas semelhantes às da administração pública, inclusive fiscalização do TCU, as entidades não estão sujeitas às restrições do § 2º do artigo 37, que prevê a nulidade da contratação sem concurso e a punição dos responsáveis.
Para o ministro Horácio Pires, as entidades são subvencionadas por recursos públicos, obtidos por meio de contribuições compulsórias, oriundas de folha de pagamento das empresas. Este fato obriga seus integrantes a observarem os princípios constitucionais da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. Para o relator, entretanto, estas exigências não têm a força de, por si só, modificar a natureza jurídica de direito privado da entidade, nem exigem que ela seja submetida a regras dirigidas somente aos entes da Administração Pública.  

Assessoria de Imprensa do TST.
CURSO DE PROCESSO PENAL PARA PF


O prof. do Ponto, Pedro Ivo, em 7 aulas, aborda os seguintes temas:


AULA 00 - Prisão em Flagrante

AULA 01 - Princípios do Direito Processual Penal

AULA 02 - Inquérito Policial

AULA 03 - Prova - parte 01

AULA 04 - Prova - parte 02

AULA 05 - Busca e Apreensão

AULA 06 - Prisão: Aspectos Gerais/Prisão Preventiva/Prisão Temporária

AULA 07 - 110 exercícios comentados


Para baixar e estudar é só clicar AQUI

quinta-feira, 26 de maio de 2011

ARTIGO 5 DA CF EM MAPA MENTAL



Nesse vídeo estão alguns incisos do artigo 5 em forma de mapa mental.

Gostei dos desenhozinhos...hehehe

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Microsoft Office x BrOffice.org



Veja aqui as principais diferenças trazidas pelo prof. João Antônio.

terça-feira, 24 de maio de 2011

PORTUGUÊS PARA INICIANTES



Nos dizeres do prof. Alberto Iglésia "este é um curso básico, que focaliza os aspectos teóricos da gramática da Língua Portuguesa. Nele, há mais de 400 questões de fixação, todas com gabarito. Está dividido em 7 aulas."

Gente, é mais um ótimo curso lançado pelo Ponto e ele abrange todo o conteúdo cobrado pelas principais bancas de concurso público.

Aproveitem!!!

Para baixar é só clicar AQUI 

segunda-feira, 23 de maio de 2011

CORREIO ELETRÔNICO


Vez ou outra esse tema aparece em prova de concurso. Quer saber como funciona o email, suas características e tudo o mais?!

Clique aqui

Bons estudos e ótima semana!

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Direito Civil em exercícios - FCC


O presente material foi ministrado pelo prof. do Ponto, Lauro Escobar, em formato de exercícios totalmente direcionados para concursos públicos, em especial para ANALISTA JUDICIÁRIO, fornecendo o máximo de informações possíveis ao aluno, mas sem dispersar a matéria para temas que não caem em concursos e opiniões pessoais e doutrinárias que também não são acolhidas nos concursos públicos, conforme aduziu Escobar.

O curso é composto por 5 aulas, divididos da seguinte forma:


• Aula 01 – Das Pessoas Naturais (ou Físicas).
• Aula 02 – Das Pessoas Jurídicas.
• Aula 03 – Dos Bens. Classificação Geral adotada pelo Código Civil.
• Aula 04 – Dos Fatos e Atos Jurídicos.
• Aula 05 – Dos Contratos. Disposições Gerais.

Para baixar é só clicar. Onde? AQUI

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Cada pessoa aprende de um modo próprio
 
É preciso levarmos em conta que cada um aprende de um jeito.
 
Os pesquisadores afirmam que existem sete tipos diferentes de inteligência, que se manifestam de forma diferente em cada pessoa.

As sete inteligências, identificadas por Howard Gardner e descritas em seu livro A teoria das inteligências múltiplas, são:

1) Verbal/Lingüística – habilidade para brincar com as palavras, contar histórias, ler e escrever. A pessoa com esse estilo de aprendizagem tem facilidade para recordar nomes, lugares, datas e coisas semelhantes.

2) Lógica/Matemática – capacidade para o raciocínio e pensamento indutivo e dedutivo, para o uso de números e resolução de problemas matemáticos e lógicos.

3) Visual/Espacial – habilidade para visualizar objetos e dimensões espaciais, para criar "imagens" internas. Possuem esta inteligência pessoas que adoram desenhar, pintar, visitar exposições, visualizar slides, vídeos e filmes.

4) Cinética – conhecimento do corpo e habilidade para controlar os movimentos corporais. As pessoas com esta inteligência movem-se enquanto falam, usam o corpo para expressar as suas idéias, gostam de dançar, de praticar desportos e outras atividades motoras.

5) Musical/Rítmica – habilidade para reconhecer sons e ritmos. É própria de pessoas que gostam de ouvir música, de cantar e até de tocar algum instrumento musical.

6) Interpessoal – capacidade de relacionamento interpessoal. É atributo de pessoas que estão sempre rodeadas de amigos e gostam de conviver.

7) Intrapessoal – auto-reflexão, metacognição, conhecimento de si mesmo e das realidades espirituais.

Por isso, é importante você se conhecer, e saber se é mais cinestésico (aprende fazendo), mais auditivo (aprende ouvindo) ou mais visual (aprende vendo).

Para ter sucesso nos estudos, seja qual for a matéria, recomendo:

1) Preste atenção na aula: se possível, antes da aula dê uma olhada no conteúdo que o professor vai explicar. Durante a aula, ouça atentamente e anote as idéias mais importantes. Anotar ajuda a concentrar a atenção, a memorizar a matéria e facilita a aprendizagem. Prestando atenção na aula, fica mais fácil compreender o que se estuda depois.

2) Tire suas dúvidas: participe ativamente das aulas e faça perguntas, eliminando todas as suas dúvidas.

3) Tenha motivação: tenha claro qual objetivo você quer alcançar ao estudar. Assim você fica motivado, estuda com vontade, e aprende com mais facilidade.

4) Tenha disciplina: estabelecer horários e constância nos estudos é fundamental. Estude sempre no mesmo ambiente, que deve ser arejado, sem ruídos, agradável.

5) Faça resumos: ao ler a matéria, sublinhe as idéias mais importantes. Faça resumos e esquemas, ressaltando aquilo que realmente interessa em cada texto. As anotações ajudam a manter a concentração e facilitam a revisão dos conteúdos depois.

6) Leve em conta seu estado emocional: se você está nervoso, preocupado ou com qualquer outro problema pessoal, seu rendimento será abaixo do esperado. Portanto, acalme-se, solucione seus problemas ou tente esquecê-los durante o período de estudos.

* Por Mathias Gonzalez

quarta-feira, 18 de maio de 2011




O livro Administração Financeira e Orçamentária, de Sergio Jund, aborda basicamente a administração pública, o processo de elaboração do orçamento públicos, os lançamentos relacionados e a famosa Lei de Responsabilidade Fiscal. 
É um livro bastante indicado e utilzado por diversos concurseiros. Tal obra serve para concursos de alto nível como TCU, MPU, CGU e SEFAZ. 
O ponte forte da obra são os testes e simulados, o que ajuda a sedimentar a matéria.
 
Para ler e estudar é só baixar! Onde? clicando AQUI

terça-feira, 17 de maio de 2011



Quer ser aprovado dentro do número de vagas? Então comece a resolver muitos exercícios!! Aí está a oportunidade. Não deixe para amanhã o que você é capaz de fazer hoje.

Para baixar clique AQUI

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Ministro da Justiça garante contratações para PF e PRF

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, garantiu que ampliará os efetivos de Polícia Federal (PF) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF). "Posso assegurar que isso é necessário, e nós o faremos", disse ele, em entrevista coletiva, durante o lançamento da Campanha Nacional do Desarmamento 2011, realizado no Palácio da Cidade, sede da Prefeitura do Rio de Janeiro.
De acordo com Cardozo, o Ministério da Justiça tem negociado com o Ministério do Planejamento para que "no momento oportuno" a recomposição dos quadros dos dois órgãos possa ocorrer. "Nós temos claro que ao longo deste período do governo Dilma Rousseff teremos que elevar os efetivos da PF e da PRF. É óbvio que isso tem que ser feito de acordo com as disponibilidades orçamentárias", ressaltou o ministro.
Para este ano, o principal entrave seria a contenção de gastos do governo federal, consequência do corte de mais de R$50 bilhões no orçamento da União para o período. Entretanto, em relação à PF, que possui pedidos em análise no Planejamento de 1.352 vagas, sendo 1.024 para policiais, há grandes chances da permissão para a realização de concursos ser concedida nos próximos meses.
Após Cardozo ter reconhecido a carência de policiais nas fronteiras, onde devem ser lotados os aprovados nos concursos que foram solicitados, o Planejamento indicou que está atento à demanda do departamento. "Está sendo analisado, e todas as informações são consideradas. Estamos planejando como atender a essa demanda", afirmou a secretária de Gestão da pasta, Ana Lucia Brito, em entrevista à FOLHA DIRIGIDA, no mês passado. Ela lembrou, no entanto, que há uma meta de redução de custos com pessoal de R$3 bilhões.
Na PRF, a contratação de pelo menos 750 policiais em praticamente todo o país depende da conclusão do concurso aberto em 2009 e paralisado desde novembro daquele ano, devido a fraude no resultado das provas objetivas.
Excedentes - É aguardada ainda a nomeação dos excedentes do concurso de 2008, para o Pará e o Mato Grosso, cuja validade expira em julho deste ano. Em reuniões com sindicalistas, o ministro da Justiça afirmou que a presidente Dilma Rousseff já autorizou as nomeações. A expectativa é que a permissão seja formalizada nas próximas semanas. O pedido está tramitando no Planejamento, informou o Ministério da Justiça.
Na quinta, dia 5, Cardozo já havia destacado que PF e PRF são órgãos "vitais" para o Ministério da Justiça, e que a realização de concursos e a contratação de novos policiais ainda este ano dependerá da posição final do governo com relação à questão orçamentária.
"Esse pleito já foi apresentado e, assim que houver uma liberação da questão orçamentária, estaremos fazendo concursos ou promovendo o provimento dos respectivos cargos", frisou.
A ampliação dos efetivos dos dois órgãos é essencial para o combate ao crime organizado, prioridade e promessa de campanha do governo Dilma Rousseff, e para a garantia da segurança durante a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

Fonte: Folha Dirigida

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Curiosidade - "Pau no nome"

Tribunal de Justiça (Brasília) recebeu o seguinte requerimento:

Esmeraldas, 5 de Março de 2002.

Eu, Maria José Pau, gostaria de saber da possibilidade de se abolir o sobrenome Pau do meu nome, já que a presença do Pau tem deixado embaraçada em várias situações. desde já, antecipo agradecimentos e peço deferimento, Maria José Pau.

Em resposta, o Tribunal lhe enviou a seguinte mensagem padrão:

Cara Senhora Pau,
 
Sobre sua solicitação de remoção do Pau gostaríamos de lhe dizer que a nova legislação permite a retirada do seu Pau, mas o processo é complicado. Se o Pau tiver sido adquirido após o casamento, a retirada é mais fácil, pois, afinal de contas, ninguém é obrigado a usar o Pau do marido se não quiser. Se o pau for de seu pai, se torna mais difícil, e vem sendo usado por várias gerações. Se a senhora tiver irmãos ou irmãs, a retirada do Pau tornaria diferente do resto da família. Cortar o pau de seu pai, pode ser algo que vá chateá-lo. Outro problema, porém, está no fato de seu nome conter apenas nomes próprios e poderá ficar esquisito caso não haja nada para colocar no lugar do Pau. Isso sem falar que, caso tenha sido adquirido com o casamento, as demais pessoas estranharão muito ao saber que a senhora não possui mais o Pau de seu marido. Uma opção viável, seria a troca da ordem dos nomes. se a senhora colocar o Pau atrás de Maria e na frente do José, o Pau pode ser escondido, porque a senhora poderia assinar o seu nome como Maria P. José. Nossa opinião é a de que esse preconceito contra este nome já acabou há muito tempo e que, já que a senhora já usou o Pau do se marido por tanto tempo, não custa nada usá-lo um pouco mais. Eu mesmo possuo Pinto, sempre o usei, e muito poucas vezes o Pinto me causou embaraços. 

Atenciosamente, 
Geraldo Pinto Soares
Desembargador Tribunal de Justiça - Brasília/DF 
 
 

quinta-feira, 12 de maio de 2011

quarta-feira, 11 de maio de 2011

ACENTUAÇÃO GRÁFICA


Para acentuar corretamente as palavras devemos identificar a sílaba tônica (forte). Isso é o que chamamos de prosódia (estuda a tonicidade das sílabas). Ao errar a sílaba tônica comete-se a silabada.

Que palavras são acentuadas? 

Regra geral: oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas.


OXÍTONAS = última sílaba é a tônica.

Macete: grave a palavra A t E M p O r a l


As palavras terminadas em A(s), E(s), O(s), EM(ens) são acentuadas.

Ex: cajá, café, vovó, também etc.


CUIDADO!! 

Também são oxítonas:

Ureter;
Cateter;
Ruim;
Condor;
Novel;
Nobel;
Mister.

A parte em negrito é a sílaba tônica.


PAROXÍTONAS = Penúltima sílaba tônica.

Macete: outro dia eu li no chão um ps, mas na hora da prova você dirá: LINURXÃO UM PS ou, se preferir use essa frase: UM ROUXInoL PS.
 

As palavras terminas em L, I, N, U, R, X, ÃO, UM, PS e ditongo (OU do rOUxinol) levam acento se a penúltima sílaba for tônica. 

Ex: vírus, caráter, água, tórax, táxi, túnel, bíceps etc.


CUIDADO!!

Também são paroxítonas: 

Ibero; 
Aziago;
Pudico;
Barbaria;
Maquinaria;
plex;
Tríplex;
tex;
Batavo;
Filantropo;
Misantropo;
Rubrica;
Índex;
Cassetete;
Pecha;
Inodoro;
Incesto;
Necropsia;
austero;
Recorde;
Avaro;
Botica;
Caracteres;
Dolo;
Blefe;
fen

A parte em negrito é a sílaba tônica.



PROPAROXÍTONAS = TODAS são acentuadas



CUIDADO!! com as seguintes palavras:

Ímprobo;
Ínterin;
vedo;
varo;
Ágape;
Álibi;
Ômega;
Protipo;
Arquétipo;
Afama;
Aelito;
nite;
Álcali
 
Posto isto, vamos a prática. Veja como esse assunto é cobrado em prova. 

01) O estudo da devida colocação do acento tônico das palavras é objeto da prosódia, uma das partes em que se divide a Fonologia.
As palavras
“Nobel”, “edito” (lei), “rubrica”, “aziago”, “ibero”, “ruim” classificam-se, respectivamente, no padrão culto da língua, como

A) oxítona, paroxítona, paroxítona, paroxítona, paroxítona, oxítona.
B) paroxítona, paroxítona, proparoxítona, proparoxítona, proparoxítona, oxítona.
C) paroxítona, proparoxítona, paroxítona, oxítona, proparoxítona, paroxítona.
D) oxítona, proparoxítona, proparoxítona, paroxítona, paroxítona, paroxítona.
E) oxítona, paroxítona, paroxítona, paroxítona, proparoxítona, oxítona.

Qual é a resposta? (resposta logo abaixo, bastando selecionar a linha a seguir para seu conhecimento).

Quem respondeu letra "A" acertou.

Como se vê, as bancas preferem cobrar as exceções. 

Abram os olhos!!!

Por hoje é só. 

Abço

terça-feira, 10 de maio de 2011

Mau uso dos impostos pode afugentar investidores



Trabalhei quatro meses neste ano, mas tudo o que ganhei num deles entreguei ao governo, pagando meus impostos. Além da tributação contida no que eu e minha família consumimos, paguei o IPVA de dois automóveis, o IPTU da minha casa e do meu escritório, o ISS contido nos serviços médicos que usei, enfim, toda a parafernália de impostos que todos pagam.

Aprendi há muito anos que os impostos possuem diversas finalidades. Por exemplo: garantir justiça, segurança, educação, serviços diversos e até mesmo a democracia, remunerando condignamente nossos representantes. Em síntese, o destino do imposto é promover o bem comum, arrecadando recursos para manter o aparelho estatal com todos os seus órgãos, promovendo o equilíbrio da sociedade etc. e tal.
Mas não é isso que estão fazendo com nosso dinheiro. Ele está, literalmente, indo para o lixo.

Acompanhando o noticiário mais recente da imprensa, vimos que verbas destinadas à merenda escolar estão sendo desviadas por meliantes que ocupam cargos públicos, entregando-se às escolas alimentos sem condições de uso, que acabam na lata do lixo. Para tal crime há várias agravantes, a primeira delas pelo fato de que as coisas roubadas ou furtadas destinavam-se a crianças ou jovens em idade escolar. Trata-se, sem dúvida de crime que pode ser considerado hediondo. É dinheiro que vai para o lixo.
O trágico nessa história é que isso ocorre em vários estados, inclusive neste que é tido como o mais rico da Federação.

Não faz muito tempo livros e materiais escolares que custaram verdadeiras fortunas foram destruídos numa escola pública, porque não eram úteis aos seus alunos. A única utilidade foi enriquecer verdadeiras quadrilhas que se infiltram em áreas governamentais . Não há notícias de que os responsáveis pelo crime estejam presos. É dinheiro que vai para o lixo.

Também já foram registrados casos de medicamentos adquiridos com nosso dinheiro que tiveram o lixo como destino, porque comprados em quantidades absurdamente elevadas, totalmente desproporcionais ao município para onde foram encaminhados.
Enquanto aquelas crianças ficaram sem merenda, preocupam-se as pessoas que elegemos com obras megalomaníacas e de duvidosa viabilidade ou utilidade discutível, como o tal trem-bala, os aviões de guerra e até mesmo aquela fantasia de submarino atômico que há décadas consome dinheiro público e não chega a lugar algum.

Em outro nível de governo, há capitais do Nordeste em que o dinheiro do imposto é utilizado para contratar conjuntos de forró-brega (argh!) para fazer shows em praça pública. É dinheiro que vai para o lixo.

Esses atos criminosos ocorrem no país todo. Um prefeito em quem votei (mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa) resolve fundar um partido e logo em seguida contrata um político nordestino para ser conselheiro da Companhia de Engenharia de Trafego de uma das maiores cidades do mundo. O IPTU, o ISS e o IPVA (metade pertence ao município) que paguei vão ajudar a pagar essa picaretagem. Como se diria alhures: arre égua!

Esse mesmo prefeito resolveu dar emprego para coronéis aposentados da polícia militar nas administrações regionais. Em quase todos os bairros, a sujeira nas ruas não melhorou e os demais serviços públicos continuam ruins. Mas em algumas administrações já resolveram hastear a bandeira e cantar o hino, quase sempre com a presença dos puxa-sacos de plantão e da imprensa do bairro. Dizem que estão promovendo o patriotismo. Sempre pensei que a função de um administrador fosse administrar. Talvez eu esteja errado. É dinheiro que vai para o lixo.

Já existem empresários fugindo deste circo. Um cliente do meu escritório que pretendia ampliar sua fábrica na região metropolitana da grande São Paulo já está indo para outro país do Mercosul, onde a carga tributária é cerca de metade da que pagamos aqui e onde licenças para instalação de indústria não demoram mais que 15 dias. Mesmo trazendo o produto de caminhão, vai dar mais lucro. Empresário não quer saber de solenidade ou desfile. Quer é ter lucro e ambiente bom para trabalhar. Isso sim é patriotismo.

Raul Haidar é advogado tributarista
INFORMÁTICA

Professor Leonardo Gabriel

Aprendendo a 'ler" as questões da prova.

Parte 1 - http://www.youtube.com/watch?v=oJVlhVqCd-k
Parte 2 - http://www.youtube.com/watch?v=aRzc6ZBCCN0

====

Internet Explorer 8

Navegação Inprivate - http://www.youtube.com/watch?v=36YocNzyj4U
Sites sugeridos - http://www.youtube.com/watch?v=TtzrUBqoo-U
Aceleradores - http://www.youtube.com/watch?v=Ehx0sdkQKmo
Filto do SmartScreen - http://www.youtube.com/watch?v=dDfPsiY7-aM

===

Word

Criando um índice analítico - http://www.youtube.com/watch?v=b-bZu2f-ONQ
Layout de impressão ou WYSIWYG - http://www.youtube.com/watch?v=VMx1B8fii2k

====

Excel

Função SE
 
Protocolos - http://www.youtube.com/watch?v=U1FFMrPPs38

===

Windows

Windows Explorer, o Gerenciador de Arquivos
 

Vídeo aula - EXCEL - Função SOMASE

Vídeo aula - Abrindo programas pelo Executar

Vídeo aula - Excel - Função MOD


segunda-feira, 9 de maio de 2011

Investigação social em concurso público: o candidato ficha limpa.

 


Pessoal, o informativo de jurisprudência do STF nº 619 publicou a decisão proferida pelo Ministro Celso de Mello no RE 634.224/DF na qual se reiterou a posição pacífica da Corte Excelsa de que viola o princípio constitucional da presunção de inocência, previsto no art. 5º, LVII da Constituição Federal de 1988, a exclusão de candidato de concurso público que responde a inquérito policial ou ação penal sem trânsito em julgado da sentença condenatória.
A questão está inserida na fase da investigação social dos concursos públicos, cuja finalidade é analisar a vida pregressa do candidato não só quanto às infrações penais (delitos) que, porventura, tenha praticado, mas também para avaliar sua conduta moral e social no decorrer da vida.
Quanto à investigação sobre as infrações penais, é PACÍFICO o entendimento no STF e STJ de que a eliminação do candidato de concurso público que esteja respondendo a inquérito policial ou ação penal, sem pena condenatória transitada em julgado, fere o princípio da presunção de inocência, isto é, tais circunstâncias não obstam sua participação no certame.
Agora, muitos alunos questionam-me se consequências oriundas do descumprimento de obrigações civis – como, por exemplo, a inscrição do nome em serviço de proteção de crédito - também constituem motivo para exclusão do candidato na fase de investigação social do concurso público.
Essa é uma questão cuja resposta depende da análise individual de cada caso concreto combinada com a ponderação sobre vários aspectos, tais como: a existência ou não de disposição normativa específica, a existência ou não de regra editalícia disciplinando a fase da investigação social do certame, o grau de repercussão dos fatos desabonadores acerca da idoneidade social e moral exigida pelo cargo que se almeja, etc.

Tais elementos deverão ser considerados por comissão avaliadora que, em juízo discricionário norteado pela lei, pela razoabilidade e por critérios objetivos de julgamento, decidirá o futuro do candidato no concurso.
O STJ, no julgamento dos Embargos de Declaração no Recurso em Mandado de Segurança nº 18613/MG, de 15.12.2005, entendeu que “em se considerando que nem mesmo o cometimento de ato infracional ou a existência de processos ou inquéritos policiais em andamento, à luz do princípio da presunção da não-culpabilidade, constituem razão bastante para inabilitar candidato em concurso público, com maior razão não se pode admitir que a simples "má-fama" de um candidato seja fator decisivo para fundamentar sua exclusão.
A ementa transcrita não é clara o suficiente a permitir seu exato sentido e alcance, de modo que a investigação sobre seu integral conteúdo é medida recomendável a fim de saber o que quis dizer o julgador ao empregar a expressão “má-fama” do candidato.
No entanto, há outra decisão do STJ – agora exarada no recurso em mandado de segurança nº 30.326 - DF (2009/0166180-8) – em que é enfrentada controvérsia mais específica, a saber:
“3. No caso dos autos, e durante o certame, procedeu-se a investigação social do candidato, na forma prevista no edital. Restou comprovado que o impetrante não possuía idoneidade moral para o exercício do cargo pretendido (Técnico Penitenciário), em virtude de contra ele haver 5 (cinco) registros de inadimplência no serviço de proteção ao crédito; 8 (oito) registros de inadimplência em cheque lojista e 32 (trinta e dois) registros no cadastro de emitente de cheques sem fundo - CCF. Cabe ressaltar que a emissão de cheques sem provisão de fundos configura o ilícito penal previsto no art. 171, VI, do Código Penal - estelionato.
4. Segurança denegada."
No que interessa, eis alguns trechos da fundamentação invocada pelo Ministro relator para decidir este caso:
“Contudo, toda a questão está em apurar se as condutas do impetrante - caracterizadas por 5 registros de inadimplência no serviço de proteção ao crédito; 8 registros de inadimplência em cheque lojista e 32 registros no cadastro de emitente de cheque sem fundo -- que a administração tem por inidôneas para fins de nomeação para o cargo de agente penitenciário, são ou não incompatíveis com a natureza do cargo.
Ora, tratando-se o caso em discussão de preenchimento de vaga para o cargo de técnico penitenciário, afere-se que tais condutas não se coadunam com o exercício da referida função, cuja vulnerabilidade é manifesta.
Com efeito, a lei em cogitação exige a “comprovação de idoneidade e conduta ilibada na vida pública e na vida privada de caráter eliminatório ” (Lei Distrital nº 3.669, de 2005, art. 4º, § único, IV) a significar que além de eliminatória a prova da idoneidade moral revela-se essencial.
Não cuida a lei nem a jurisprudência de definir o que se deve entender por idoneidade moral, abrindo-se aí, por certo, espaço de discrição ao administrador para valorizar as condutas, sem embargo da evidente necessidade de justificar e provar as razões indicadas.
Nesse quadro, se o candidato, no período de 2004 a 2008 envolveu-se em tantos episódios que redundaram nas ocorrências mencionadas pelo acórdão local, primeiro não parece possível -- já que se trata de mandado de segurança cuja prova é por definição preconstituída -- reabrir-se a instrução para contestar as referências ou circunstâncias dos eventos, e, depois, se ao administrador cabe avaliar as exigências da atividade de agente penitenciário por poder discricionário legalmente admissível, não pode o Tribunal substituir-se nesse juízo para o qual lhe falta tanto o poder de discrição quanto a oportunidade do exame da prova necessária.”
 
Espero tê-los ajudado!
Até a próxima!!

Prof. Lísias Zanoni

sexta-feira, 6 de maio de 2011

CURSO COMPLETO DE PORTUGUÊS - DE ACORDO COM AS NOVAS REGRAS ORTOGRÁFICAS


A professora Claudia Kozlowski abordou os seguintes temas:

a) Ortografia (aula 0 e 1);

b) Estrutura, formação e classe das palavras (aula 2);

c) Verbo (aula 3);

d) Concordância (aula 4 e 5);

e) Regência (aula 6);

f) Crase (aula 7);

g) Pronomes (aula 8);

h) Preposição e Conjunção (aula 9);

i) Períodos (aula 10);

j) Termos da oração e análise sintática (aula 11);

k) Pontuação (aula 12);

l) Interpretação de texto (aula 13).


Gente, aproveitem e estudem com bastante afinco por esse material de inquestionável qualidade que vocês vão se dar bem em QUALQUER prova, não tenho dúvida disso!!!

Para baixar o conteúdo acima basta clicar AQUI

Bons estudos e ótimo fds

quinta-feira, 5 de maio de 2011

BIBLIOGRAFIA, MATERIAL E CURSOS RECOMENDADOS PELOS PRIMEIROS COLOCADOS DO CONCURSO DA POLÍCIA FEDERAL DE 2009.



1) RECOMENDAÇÃO DE MARCO ANTONIO PONTES SILVA – 1º COLOCADO DE ESCRIVÃO PF 2009:


- Direito Constitucional: Pedro Lenza (Esquematizado) e Marcelo Alexandrino e Vicente Paulo (Descomplicado);

- Direito Administrativo: Marcelo Alexandrino e Vicente Paulo (Descomplicado);

- Direito Penal e Processual Penal: Livros da série "Esquematizado" da editora Método (Direito Penal Esquematizado e Direito Processual Penal Esquematizado);

- Direito Penal parte Especial: Sinopses da Saraiva; e letra da lei;

- Administração Financeira Orçamentária e Arquivologia: material do "ponto dos concursos"- www.pontodosconcursos.com.br

- Curso: LFG – www.lfg.com.br



2) RECOMENDAÇÃO DE IGOR FEITOSA SIEBRA – 1º COLOCADO DE AGENTE PF 2009:

 
- Direito Administrativo: Marcelo Alexandrino e Vicente Paulo (Descomplicado);

- Direito Constitucional: Marcelo Alexandrino e Vicente Paulo (Descomplicado);

- Direito Penal: Rogério Greco (os 4 volumes);

- Direito Processual Penal: Nestor Távora;

- Legislação Penal Especial: Fernando Capez + Letra da lei;

- Administração: material do curso LFG e alguma coisa do livro de Idalberto Chiavenato;

- Economia: material do LFG e material da Vestcon;

- Contabilidade: Livro do Adelino Correa (prof. do LFG) e livro do Ricardo Ferreira – editora Ferreira;

- Português: Gramática: Marcelo Rosenthal; Interpretação: Renato Aquino- ambos editora Campus;

- Raciocínio Lógico: Material do LFG e material do Master Concurso - www.masterconcurso.com.br

- Curso: LFG - www.lfg.com.br
PROVAS ANTERIORES DOS CORREIOS. 


Para baixar clique AQUI






quarta-feira, 4 de maio de 2011

CONCURSO DO INSS CONFIRMADO ESTE ANO

Segundo o Jornal Folha Dirigida, a Assessoria de Comunicação do Ministério da Previdência, confirmou a realização de um encontro entre os ministros Garibaldi Alves, da Previdência, e Miriam Belchior, do Planejamento até o dia 15 de maio, adiantando, entretanto, que já foi estabelecido um pré-acordo garantindo a realização do concurso.
O concurso será uma das exceções admitidas para áreas consideradas prioritárias pelo governo federal, entre as quais está o atendimento nos postos do INSS (estão previstas 720 novas agências para ampliar a rede de atendimento aos usuários do INSS).
A previsão inicial era de 2 mil vagas para realização de vários concursos periódicos, pois o levantamento apresentado pelo Ministério da Previdência apontava um déficit de 10 mil servidores.
Segundo se comenta, esta e outras autorizações (PF e Receita Federal) só ainda não teriam sido anunciadas para evitar o desgaste de imagem do governo, de forma que pudessem ser assimilados como uma necessidade urgente e como uma exceção à regra geral estabelecida para este ano.
Também contribui para esta nova postura as contas públicas da área federal terem fechado com grande superávit nos primeiros meses do ano, alterando, de forma favorável, a postura dos analistas que acompanham o desempenho das contas públicas.
O INSS é um dos casos mais graves de falta de pessoal, uma vez que o envelhecimento da força de trabalho, reflexo da ausência de concursos, impossibilitou a renovação do quadro de pessoal. Segundo o INSS, nos próximos quatro anos, aproximadamente a metade dos 35 mil servidores da autarquia poderá se aposentar.

 Os vencimentos são de R$2.980, para os técnicos, e R$4.917, para os analistas. Com a gratificação de desempenho, as remunerações podem chegar a R$3.280 e R$5.580, respectivamente.

terça-feira, 3 de maio de 2011

segunda-feira, 2 de maio de 2011


Perguntas e respostas: Eleições 2010. Trata-se de uma cartilha bastante interessante  na forma de perguntas e respostas de alguns assuntos do dir. eleitoral tais como, votação no exterior, propaganda eleitoral, conduta vedada a agentes públicos, coligação e convenção partidária, justificativa eleitoral e informações sobre eleitores e candidatos.

Confira clicando AQUI